Uma breve história das meias

O hábito de se usar meias, atualmente parte indispensável e inquestionável do nosso vestuário, foi conquistado ao longo de muitos anos. A depender da cultura, seu uso agradaria uns ou poderia desagradar outros; em determinados momentos, as meias seriam objeto exclusivamente masculino; em outros momentos, o costume de vestir os pés e as pernas marcaria o vestuário feminino. Objeto de luxo de reis, rainhas e nobres, as meias ao longo do tempo se popularizaram, vestindo todos e todas, sem distinção social, porém enfatizando a individualidade de cada pessoa.

Na Antiguidade, diversos povos costumavam cobrir os pés através de tiras de couro. Os antigos persas eram grandes apreciadores das meias, pois os soldados faziam uso da peça para se protegerem do frio. Os egípcios também utilizavam meais, sendo os responsáveis por separar na costura o dedão do resto dos pés.

(Diego Sanches/Abril Branded Content)

O uso de meias, entretanto, não agradava os romanos.  Para eles, o costume de alguns povos de se vestir modelando as pernas, através de peles e couros de animais, era encarado como prática bárbara e incivilizada.

A valorização das meias ocorreu durante a Idade Média, embora seu uso estivesse concentrado no vestuário masculino. Entre os séculos XIII e XV, a perna modelada pelas meias, dos pés à cintura, marcou o costume de se vestir principalmente de nobres e de ricos comerciantes que viviam nas cidades medievais.

Do predomínio masculino, as meias invadiram o espaço feminino, invertendo o uso das peças. Quando caíram na graça da Rainha Elizabeth da Inglaterra no século XVI, as meias tornaram-se peça de vestuário predominantemente feminina. De qualquer modo, sendo um produto fino e caro, as meias eram destinadas à realeza, à nobreza e a ricos comerciantes.

Porém, com a mecanização da produção, com as inovações técnico-científicas da humanidade nos últimos 200, e a criação de tecidos sintéticos, confortáveis, como o nylon, as meias dominaram o planeta. Democrática nessa última etapa, atualmente as meias vestem sem nenhuma distinção reis e rainhas, ricos e pobres, homens e mulheres, adultos e crianças.

(Diego Sanches/Abril Branded Content)

Objeto de moda, de todos e de todas, as meias ainda traduzem sofisticação e distinção. Com seus coloridos, seus desenhos e suas combinações, elas ajudam a realçar democraticamente a personalidade e o estilo de cada um.

Referências:                                                                                      

ALVES, Andressa S. &  AYMONE, José L. F. As continuidades no vestir na história da modelagem do vestuário. Anais do 6º Congresso Internacional de Design da Informação.  Sociedade Brasileira de Design da Informação – SBDI Recife | Brasil | 2013.

https://super.abril.com.br/mundo-estranho/como-comecamos-a-usar-meias Acesso 13/02/2020.

http://almanaque.folha.uol.com.br/meias.htm Acesso 13/02/2020.